A VIDA NÃO PODE ESPERAR (Poesia de Tiago Ortaet escrita dentro dos trens de SP em 2008)

Meu desejo de vitória grande não chega atrasado
Meu coração realejo de história grande chega junto comigo...
Recuso dançar como rejeitado
Rejeito a dança dos oprimidos!
Meu olhar é concentrado, já não é o mesmo que viu a bandeira de largada, ele atenta da apoteose ao vale dos esquecidos.
Eu não esqueço dos outros que também são parte de mim.
Meu olhar é produto nacional selecionado.
É poesia especial do novo dia iluminado.
Produto importado de dentro pra fora.
O presente que presenteio o mundo é o AGORA!
A fé é certeza de vitória ao meu olhar
Por que a vida....
Ah, a vida não pode esperar.

Tiago Ortaet
30/03/2008


VEJA TAMBÉM

1 comentários