A UNIVERSIDADE PÚBLICA...UMA POSSIBILIDADE - Reflexões da ida dos estudantes à USP

Convidei a Professora Mestre em Geografia Elenice da Fonseca, bem como demais profissionais envolvidos nos nossos projetos culturais da escola para escreverem sobre essas ações importantes que desenvolvemos como política cultural num âmbito de liderança estudantil. Leia o texto.






 
A visita na USP, foi muito importante para que os alunos pudessem conhecê-la, já que muitos apenas ouviam falar dela. Puderam perceber que a USP não é um bicho de 7 cabeças, mas uma possibilidade, e que dependerá de cada um. Tiveram a oportunidade de apresentar trabalhos, de forma brilhante,  para os universitários, docentes da universidade e alunos de outras escolas também públicas, com trabalhos maravilhosos.
Conheceram a ECA (Escola de Comunicação e Artes), almoçaram no bandejão, assistiram a aula brilhante do Prof. Ideval  no Instituto de Geociências, e se encantaram, porém, puderam observar que na escola Gleba eles também tem aulas maravilhosas. 
Então, o que há de diferente!?. A “receptividade”, a “disposição de aprender”, portanto, é um momento para refletir a postura que cada um tem nas aulas, e compreender que depende muito de nós mesmos o sucesso do aprendizado. Como disse, o professor Ideval, “é preciso ter vontade” .
Claramente, percebe-se  que, este contato com a universidade, acendeu as chamas de fazer parte dela como estudante. Passar para uma faculdade pública é muito importante, tanto quanto, seguir a profissão escolhida. Entrar na faculdade abre uma série de oportunidades na vida, principalmente, num país como o nosso, onde o  direito à educação não está na topo das preocupações.
A negação do direito à educação de uma pessoa, é igualmente uma negação do direito dela existir como um ser humano, livre e produtivo. Pois sem educação, o indivíduo é condenado à prisão de sua própria ignorância, torturado por falta de oportunidades, e, mais que provável, condenado a uma vida de pobreza, subdesenvolvimento e exploração.
Segundo John F. Kennedy, “O limite do homem é o limite de seus sonhos”, ou seja, somos do tamanho dos nossos sonhos, e não basta sonhar alto e realizar pequeno. O sonho é o primeiro passo para grandes realizações. Cada vez que alguém abandona seu sonho, está abandonando a si próprio.
Este projeto da USP, permite constatar quantos  talentos temos na escola pública. E o Brasil precisa de gente como vocês: com alegria, talento, juventude e magia. O futuro do país depende e muito da formação de seu povo.

Elenice da Fonseca 
Professora de Geografia


VEJA TAMBÉM

0 comentários