ÊXTASES POÉTICOS NO ULTIMO FORMARAU EXIBIDO EM 02 DE JULHO

IV FORMARAU



UM BANQUETE EM CONSOLIDAÇÃO E PERMANÊNCIA

Semestralmente centenas de pessoas brilham nos palcos da Trupe Ortaética e outras milhares que acompanham nosso legado tem a oportunidade de apreciar nossos manifestos teatrais.

Em sua 4ª edição o Formarau apresentou nessa sexta-feira dia 02 de Julho de 2010 um banquete simbólico, a força do vínculo afetivo que só a arte é capaz de envolver. Investigadores de si mesmos, pesquisadores da sociedade.

O evento durou mais de três horas com intervalos cinematográficos entre as peças teatrais.

A cada montagem cênica eram exibidos vídeos documentais dos estudos e pesquisas das diversas turmas Ortaéticas. Um mix entre risos e lágrimas, realidade em ficção, ficção se apresentando como espelho da realidade.

Essa edição do FORMARAU objetivou a exposição da abertura de processos de criações nas seis turmas de interpretação e também exibição de vídeo-arte das turmas de malabares, percussão corporal, contação de histórias e fotografia.

Foi uma maratona de produções cheias de vida e protesto; esquetes com consciência crítica da sociedade, deixando o julgamento dos fatos apresentados para o publico.

Embasado nos estudos em TEATRO-FÓRUM do teatrólogo Brasileiro Augusto Boal, o FORMARAU teve interação do publico que lotou o auditório do Palácio do Trabalhador, região central de São Paulo.

Essa comunhão teatral foi mais uma vez apresentada por mim, que me encanto com cada novo ato dessa trupe poética e humana, pois revejo os lampejos do início até a grandiosidade do agora.

Logo na abertura do cerimonial dediquei exclusivamente o evento ao jovem Fernando Costa dos Reis Telles, que sofrera um grave acidente nas vésperas das apresentações. Fernando é há três anos uma espécie de colaborador integrante da equipe Ortaética, além de ser aluno em vários cursos ao longo desses anos. É, sobretudo, um grande exemplo de luta e superação de vida engajada nas artes. Uma das belíssimas histórias de acolhimento e afetividade nascidas dentro da Cia.

Uma característica fundamental da Trupe Ortaética é a capacidade de reunir famílias para através de suas diferenças pensarem a concepção teatral e esse foi mais uma vez o diferencial. Alunos de todas as idades degustaram o contato com a magia de estar no palco.

A noite foi regada através dos textos adaptados pelos alunos das obras clássicas como “Romeu e Julieta” de Willian Shakespeare, “Mãe Coragem” de Bertold Brechet e “Homens de Papel” de Plínio Marcos. Além de tudo disso, tivemos criações coletivas de esquetes que se transformarão até o final do ano em grandes espetáculos.

O encontro foi prestigiado pelo Deputado Federal Paulo Pereira da Silva que discursou destacando a relevância do projeto e seu poder de alcance. Chamada ao palco, a mantenedora e maior apoiadora da força cultural no sindicato, Elza Costa Pereira que é Diretora Financeira da entidade, dedicou suas palavras a trajetória de eventos da Cia teatral e revelou seu desejo de que a imprensa de São Paulo conheça esse projeto pela sua importância nos dias atuais.

De tudo que assisti e vivenciei naquela noite o que mais me despertou emoção foi rever em vídeo a intervenção BLITZ DA HUMANIDADE que realizamos com crianças de uma das comunidades mais pobres de São Paulo e também de ver a evolução de pessoas comuns em seres humanos melhores e artistas populares em constante metamorfose.

Todo o ciclo de atividades do semestre que desaguaram em apresentações desta noite foi conduzido com bravura por toda equipe. Minhas mais sinceras homenagens ao nobre trabalho de cada um dos elementos dessa equipe que se estende também aos profissionais valorosos do Sindicato.

Professor Tiago Ortaet®



Para comentar essa matéria clique no link abaixo "0 comentários"

VEJA TAMBÉM

0 comentários