PERFORMANCE DE TIAGO ORTAET NA MANIFESTAÇÃO DOS PROFESSORES - AVENIDA PAULISTA

Trupe Ortaética apresenta Performance "O Calvário dos professores num espetáculo dos horrores" encenação: Tiago Ortaet, Willian Celso e Daniel Dantas.Participação especial: Pedro - o andarilho. Fotografia: Rodrigo Marcelo Fotografia. APOIO À GREVE DOS PROFESSORES DE SÃO PAULO. Já dizia Paulo Freire "Educar é um ato político" 
 Carros passantes dos transeutes passados em dias úteis e professores manifestados; imagem ainda não o bastante pra sacudir mente de alienado; docente que atenta um governo desgovernado" Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"
 Cidadão caminhando na contramão dos versos da canção; canção que tem como melodia de uma sala de aula, intensidade no olhar ligeiro da cidade... Olha ali, um andante professor revoltado e do outro lado um senhor que nem um pouco preocupado, atravessa a cena na passarela que o senhor governador me chamou de ator em cena de novela - plim plim" Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"
 As águas vão levando o manifesto, antes que seja parte, das imagens dessa cidade, só lhe peço que me dê boa vontade de prestar atenção, a cada estudante desse governo errante e cheio de boa intenção, para que não renegue seus direitos, pois dentro de uma sala de aula ou em ato na avenida o que se vê da vida é determinação, no mais, passa. Tiago Ortaet em "Cartas de um educador" 

Olhar pela margem, como aquele que corrige a tarjeta, como aquele que corre feito água na sarjeta, olhar pela margem, do que está além do que pode ser visto, do verbo ácido que corrói mais do que dói a lei do que foi escrito; do olhar que moldura minha inconformidade, pelo olhar diante de uma gestão amadora, de um professor diante de uma pátria querendo ser educadora. Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"

Arranha céu, risca a arrogância dos podres poderes pra mim; quem faz o opressor é o oprimido, então minha essência é comprimido que cessa e desmascara, minha inquietude, por atitude risca essa vértice de ser professor, por que professar a profissão é mais que oração, é ato político em luta desse chão. Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"

Aluno significa aquele que está sem luz, vamos repensando seus significados e significâncias; libertos de cadeados e ignorâncias; são LUNOS, são luzes à iluminar as trevas da intolerância, intensidade juvenil que se cria com os versantes do dia a dia, passo a passo, ginga por ginga num tal de Brasil, letra por letra, tinta por tinta, cena por cena, digo que todas as tomadas que catalisaram a energia sagaz foram ligadas, se liga molecada, que no nosso caso jamais fomos "deitados eternamente em berço esplêndido" por que somos berço de manjedoura da periferia, bora lutar, bora fazer poesia, àquelas que são maiores que as palavras! Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"


Em tempos de não haver trégua para as imposições, zero de reajuste não é justo, eis o nosso juízo incial!!! Às ruas pintam tons de fotografia e o sufoco vira grito e euforia! Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"

 O professor brasileiro deve ser resiliente, trabalho árduo, resistente, abrindo caminhos em governo ermo e impermeável, como faz a chuva que lava a cidade nesse grito justificável... Tiago Ortaet em "Cartas de um educador" 

 RECEBER APOIO DOS MEUS EX-ALUNOS É PARA MIM A MAIOR HOMENAGEM E GRATIDÃO QUE UM EDUCADOR PODE RECEBER!!!



A tinta não pega por que a enchurrada leva, a luta não passa por que a alma resiste! Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"


O que cabe na cruz que se carrega? O que se considera juz pela lista que se prega? Salário defasado, reajuste zero, professor pressionado, respeito é tudo que eu quero, vale alimentação de quatro reais, o governador não almoçaria com esse valor, jamais; não quero ser disse-me-disse em notas de jornais, não cabe sob as minhas costas as mazelas dessa imundice governamental, quero gestão coloque a educação como pauta principal. O que cabe na cruz que me conduz? Formação continuada, deformação nessa parada! Tiago Ortaet em "Cartas de um educador"

VEJA TAMBÉM

0 comentários