POESIA DA SEMANA - by Tiago Ortaet

Gota de (d)cor


Como uma mina, essa água de lastro se alastra por aqui... Contamina, percebi!

Como uma torrente, contra correnteza, se choca com minha certeza;

Não seca, não chega, não cessa por que me acessa por todos os lados

Submerge, afundo e volto à deriva... Não aceito a hora da partida, quando diante de tanto, tanto ainda não é tudo e o tudo acordou em revoada; meu “eu” frágil da minha embarcação, sofreguidão e naufrágio. 

Tudo volta a ser como aquele dia, das cores da toalha de mesa ao cadarço desamarrado; do olhar pela fechadura ao fechar da tampa... Casa da alma não é tanta...

Respiração foi tanta... E é... Tabernáculo de fé...

As cores se disfarçaram em apenas duas... A minha e as suas.

Sem saber contar, senti e aquarelei como pude!!! Menino vai brincar de bolinha de gude...

As cenas cristalizadas condensam a fotografia desse dia! Amor condensado num só olhar.

Multiplico! Ao meu espelho suplico, mas não explico...

Afinal a mina não seca, não chega e não cessa!!!
Ortaet 2014

VEJA TAMBÉM

0 comentários