UMA POESIA ESPECIAL AOS MEUS QUERIDOS ALUNOS DO CONTINENTAL CULTURAL

Rito Vital desse Dezembro




Deus obrigado por me escolher para ser receptor de energias humanas, recarregáveis com a própria humanidade.

Missão de fato, artefato e felicidade.

Obrigado por me permitir ser instrumento de arte para revelar tantas identidades sufocadas pelos números e massas desses tempos neutros.

Obrigado por me conceder liderança pelo fruto do bem, pela semente da paz, pela raiz da sensibilidade humana e por poder conhecer tanta gente entregue a esta experiência de arte.

Ortaética já é marca espalhada em toda parte.

Que pelos meus olhos passeiem as mais poéticas imagens e que nesse deleite de vida eu compartilhe sonhos com meus amigos. Relatos, tatos e abrigos!

Que minha jornada seja longa para que eu possa atravessar o tempo costurando idéias de um mundo inventado, um mundo feito possível.

Que meu suspiro chegue aos corações alheios e que eles também se permitam sentir o “frio na barriga” antes de uma apresentação teatral. Melodias do corpo, gestos de vida e uma herança cultural.

Que a oração de um artista não se esvaia num texto, mas que sagrado seja em diário vital, em palco de madeira ou de asfalto e sobretudo em rito cênico.

Olhai por nós platéias itinerantes, sagazes o bastante pra confrontar idéias, pra rimar os compassos com a vida sempre frenética, pra fazer consagrar a Trupe Ortaética.



Evoé!



Tiago Ortaet

À Trupe Ortaética de Teatro Comunitário e seus seguidores

VEJA TAMBÉM

0 comentários