FUI VER O LONGA METRAGEM "SOMOS TÃO JOVENS" E QUERO IR COM VOCÊS TAMBÉM!!!

A tão aguardada Cine-Biografia do MITO Renato Russo chegou hoje aos cinemas e eu não perdi tempo, bem cedo corri para a sala de cinema mais próxima de casa, junto com a minha família, para me emocionar com a adolescência, juventude revolucionária e poética do meu ídolo, maior poeta do Rock Nacional. Dizia em singular por que poderia jurar que meu filho e esposa estavam indo apenas para me acompanhar, por entender o quanto amo esse legado do Trovador Solitário de Brasília; mas me enganei, pois meu pequeno Otávio curtiu o filme como eu nunca vi curtir, nem mesmo os clássicos do Walt Disney que já vimos juntos no cinema. Fomos no embalo das guitarras e das letras do menino de Brasília que SONHOU ser o maior astro do Rock Brasileiro e se tornou mais que isso. Sonhar faz toda a diferença! Conquista mais quem sonha mais!
Eu já lí dois livros biográficos sobre a vida do Renato, mas devo confessar que o filme omite muitas coisas; mas por outro lado, entendo que não é possível citar tudo. Uma seleção sempre acontece.
Como é bom saber que antes da gente, muita gente já refletiu a existência humana através das artes, que houve um pensador ácido fazendo valer sua voz e sua vez.
O filme é muito bom, eu como fã, me emocionei diversas vezes, com cada acorde das suas canções, com a interpretação perfeita do ator Thiago Rodrigues que dá vida a lenda Renato Manfredini Júnior, mas como crítico de arte, o roteiro deixou um pouco a desejar, esperava mais.
Eu, de verdade, não entendo por quê os roteiristas, cineastas, temem tanto retratar a fase já conhecida de seus homenageados; pois na grande maioria das cine-biografias brasileiras, os produtores, diretores, enfim, os fazedores do longa metragem, decidem omitir muitas partes da vida dos biografados, principalmente quanto a apoteose de suas carreiras, de suas vidas... Lamento.
Para falar de alguém revolucionário como o Renato é preciso ousadia que ao menos se aproxime de sua coragem artística.
Não me canso de escrever sobre os meus dias e que esse seja mais um dia em que fui tão jovem, tão ansioso e artístico como meu eterno ídolo!
Parabéns ao cinema brasileiro! Viva as artes do meu país!
Tiago Ortaet

VEJA TAMBÉM

0 comentários